Aulas

Consolador Prometido

Primeiro Momento:

- Entreguei a todos uma caixinha e dentro dela havia uma bala e um pedaço de papel. Pedi para que eles pensassem o quanto é bom ganhar presente, mas que há muitos presentes que não são materiais, como um carinho, a amizade, (...) e boas palavras.

- Pedi então para que eles pensassem numa situação em que estavam tristes, ou com um problema e que escrevessem no papel o que gostariam de ter escutado naquele momento e não escutaram (orientei para que se por acaso tivessem escutado o que gostariam para escreverem também, mas não houve esse caso). Não pedi para se identificarem.

Segundo momento:

- Depois, coloquei os papéis dentro do saco e fui lendo. Foi muito legal porque, mesmo sem identificação eles ficaram à vontade para assumir que tinham escrito e conversar sobre a situação. Para alguns, foi até momento de desabafo. Após essa conversa, perguntei a eles onde podemos achar consolo sempre, mas principalmente nesses casos onde não o encontramos nos familiares, amigos, etc. Todos mencionaram a Doutrina Espírita.

Terceiro momento:

- Adaptei o texto sobre as três revelações retirado do site do Centro Espírita Maria Angélica http://www.cema.org.br/livros/Aula_02.doc e debatemos as seguintes perguntas:

1)      O Espiritismo realmente seria o Consolador prometido por Jesus? Por quê?

2)      Você alguma vez já encontrou consolação na Doutrina Espírita?

3)      Você acha possível encontrar consolo em momentos dolorosos como a tragédia com a avião da TAM?

Foi uma aula bem legal (a duração é de 1h 30min), feita inicialmente com uma Mocidade, mas pretendo adaptá-la para usar com outro grupo de terceiro ciclo.

Parábolas

Incentivação inicial

 

Os evangelizadores deverão perguntar aos evangelizandos de que forma Jesus transmitia seus ensinamentos. Deverão também perguntar e explicar o que são parábolas.

Os evangelizadores deverão ler pausadamente as seguintes parábolas:

 

PARÁBOLA DO SEMEADOR

PARÁBOLA DO FILHO PRÓDIGO

PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO

PARÁBOLA DOS TALENTOS

PARÁBOLA DO JOIO E DO TRIGO

PARÁBOLA DO CREDOR INCOMPASSIVO

A PARÁBOLA DO FARISEU E DO PUBLICANO

PARÁBOLA DA OVELHA PERDIDA

PARÁBOLA DO GRÃO DE MOSTARDA

 

Os evangelizadores deverão explicar o significado das palavras que eles podem não entender (fariseu, publicano, etc...), mas não podem explicar o significado das parábolas.

 

Dinâmica: Jogo da memória

 

Os evangelizandos irão brincar de jogo da memória, utilizando as imagens das parábolas (ver abaixo).

 

Regras:

- O primeiro que acertar o par de imagens, deverá segurá-las e sair do jogo, de modo que todos tenham a chance de acertar pelo menos uma vez.

- Quando todos tiverem com um par de imagens na mão, os evangelizandos irão perguntar a cada um a que parábola corresponde a imagem e o que ela quer nos passar.

- Se o evangelizando acertar,  continua com as imagens. Se errar, será a chance de outro que, acertando, ficará com as imagens. Se ninguém acertar, as cartas voltarão para os evangelizadores

-Ganhará quem tiver mais pares nas mãos

 

Conclusão

 

As parábolas são instrumentos usados por Jesus para passar suas mensagem de maneira a ser entendida pelo povo da época.

 

Fora da Caridade não há salvação

Dinâmica inicial 

Enrolar os braços dos participantes com cartolinas de modo que não possam dobrar os braços. Dar um bombom para cada um dizendo que podem comê-lo.
Alguns poderão pensar que é um teste de habilidade, mas muitos perceberão que se abrir o seu bombom e der na boca do outro, este fará  o mesmo consigo e todos comerão os bombons.

 

Resgate

Relacionar a dinâmica com o tema: “Fora da Caridade não há salvação”.

Perguntar e explicar os significados de ‘caridade’ e ‘salvação’.

Ressaltar que a caridade é o amor em ação e pode ser praticada por todos. Pedir que citem exemplos de como ser caridoso.

 

Considerações finais

 A caridade pode ser material ou não, pode ser realizada por ricos, pobres, não depende da idade, da saúde, da religião, do lugar em que se está.

 

Baseada em aula  que não consegui achar de onde tirei. Quem souber a fonte, escreva aqui. 

Prece

Essa aula foi baseada numa dinâmica retirada do site Seara do Mestre. Funcionou muito bem com o terceiro ciclo e com a Mocidade e pode ser adaptada para outros ciclos.


Tema: CONDIÇÕES NECESSÁRIAS À EFICÁCIA DA PRECE

Conteúdos mínimos: ESE, cap. 27: Pedi e Obtereis, itens 5-8: Eficiência da Prece

 

Dinâmica inicial:

 

Cada evangelizando receberá um pedaço de chocolate e os evangelizadores pedirão que eles o saboreiem, deixem-no derreter na boca, enfim, que comam bem devagar. Os evangelizadores deverão perguntar se gostaram do chocolate e o que aconteceria se engolissem o chocolate rapidamente, sem mastigar, sem saborear.

 

Resgate da dinâmica:

Os evangelizadores vão explicar que, quando fizemos nossas preces sem pensar, com pressa, sem sentimentos, é como comer o chocolate sem sentir o gosto, não fica o gosto em nossa boca, é quase como se não tivéssemos comido.

Se oramos com amor e sinceridade no coração, com calma, pensando no que estamos fazendo, é como comer o chocolate devagarinho, saboreando-o, com vontade, sentindo o gosto do chocolate que fica na boca.

Após explicar o significado das palavras “fariseu” e “publicano”, os evangelizadores deverão ler a parábola e conversar sobre ela.

 

Considerações finais

Os evangelizadores explicarão a importância da prece, pois, embora Deus conheça nossas necessidades, somos providos de inteligência e livre-arbítrio para tentar evitar o mal. Explicarão também que há diversos tipos de prece: de agradecimento, de louvor, de pedido e que há preces espontâneas e decoradas.

Elementos gerais do Universo

Incentivação inicial:

Relembrar que existem 2 elementos gerais no Universo: O espírito e a matéria. Questionar a diferença entre os 2, explicando que o espírito é o princípio inteligente e que a matéria é o elo que prende o espírito.

 

Desenvolvimento:

Propor uma dinâmica, para comprovar que o Espírito precisa da matéria para se manifestar.

 

- Vendar os olhos de um evangelizando e pedir para que pegue um objeto na sala

- Amarrar as mãos de um evangelizando para trás e pedir para que pegue uma bala, abra e chupe

- Amarrar os pés de outro evangelizando e pedir para que caminhe pela sala

- Tapar a boca de um evangelizando com fita crepe e pedir que repita uma frase

 

Conclusão:

 

Concluir que Espírito é o princípio inteligente, mas ele necessita da matéria para viver no mundo material e agir sobre as coisas que nele existem e que também são materiais.

 

 

Existência e sobrevivência do Espírito

Conteúdos mínimos:

"Do ponto de vista corpóreo e puramente anatômico, o homem pertence a classe dos mamíferos (...). Mas, e a nossa parte que "pensa" e que "sente" de onde vem ? O espírito é o princípio inteligente do Universo. A existência e sobrevivência do espírito é comprovada pelas manifestações mediúnicas, pelas lembranças das vidas anteriores. A Lei de evolução justifica a sobrevivência do Espírito.” – A Gênese,   cap. 10.

Espírito é o princípio inteligente do Universo (...). Não é fácil explicar o Espírito com vossa linguagem. Para vós não é nada, visto que o espírito não é algo palpável, mas para nós é alguma coisa. Sabei bem: o nada não existe”. – O Livro dos Espíritos, parte I, perguntas 23-27

 

Incentivação inicial:

Expor uma planta, um bicho de pelúcia e uma pessoa (um evangelizando voluntário ou um evangelizador). Pedir para que eles discutam as principais semelhanças e diferenças entre esses 3 tipos de seres vivos. Eles devem chegar à conclusão que a inteligência dos seres humanos é proveniente do espírito.

 

Discutindo a existência e a sobrevivência do espírito:

Os evangelizandos se dividirão em 2 grupos e cada grupo receberá a "missão" de convencer um cético da existência do espírito (pode ser um dos evangelizadores ou um convidado). Os grupos receberão um 'kit' com diversas palavras* e eles deverão decidir quais são as mais adequadas para serem utilizadas em sua estratégia de convencimento.

Se houver mais de um evangelizador, um deles deverá percorrer os grupos como suporte na criação de argumentos e o outro, se fizer o papel de cético, deverá questionar o que for apresentado.

 

Trabalhando argumentos:

Os evangelizandos deverão confeccionar um pequeno cartaz para apresentar seus argumentos para o outro grupo.

 

Apresentação final:

Cada grupo irá expor seu cartaz, explicando os argumentos escolhidos.

 

Dependendo da maturidade e conhecimento da turma, funciona a partir do terceiro ciclo.

Plano de aula: "O Corpo, dádiva divina"

 

Objetivo: Reconhecer o corpo como instrumento de evolução do Espírito na Terra, bem como a importância de cuidar do mesmo.

 

Incentivação inicial:

Revisar a aula anterior, com uma explosão de conceitos sobre o espírito, relembrando que a inteligência do Homem é proveniente do Espírito e não da matéria.

Mostrar figura de um cérebro aos evangelizandos, apontando a glândula pineal (epífise) e explicando que ela é o elo de ligação entre o corpo e o Espírito, sendo ainda um mistério para a Ciência., mas que André Luiz, através de Chico Xavier no Livro “Os mensageiros”, nos esclarece alguns aspectos sobre ela.

 

Em seguida, mostrar figuras do corpo humano, comentando o quanto nossa estrutura é complexa e explicando eventuais dúvidas.

 

Jogo: Cuidando do corpo

Dividir a turma em dois grupos. Os evangelizadores deverão apontar nas figuras um determinado órgão e perguntar para os evangelizandos que mal podemos causar a este órgão e como. Por exemplo: apontar o fígado -> pode-se causar cirrose -> como? bebendo em excesso, etc.

 

Funcionou bem com nossa turminha de terceiro ciclo. E você, como trabalha o tema 'corpo'?  

[ ver mensagens anteriores ]

O que é isto?
Visitante número: