Consolador Prometido

Primeiro Momento:

- Entreguei a todos uma caixinha e dentro dela havia uma bala e um pedaço de papel. Pedi para que eles pensassem o quanto é bom ganhar presente, mas que há muitos presentes que não são materiais, como um carinho, a amizade, (...) e boas palavras.

- Pedi então para que eles pensassem numa situação em que estavam tristes, ou com um problema e que escrevessem no papel o que gostariam de ter escutado naquele momento e não escutaram (orientei para que se por acaso tivessem escutado o que gostariam para escreverem também, mas não houve esse caso). Não pedi para se identificarem.

Segundo momento:

- Depois, coloquei os papéis dentro do saco e fui lendo. Foi muito legal porque, mesmo sem identificação eles ficaram à vontade para assumir que tinham escrito e conversar sobre a situação. Para alguns, foi até momento de desabafo. Após essa conversa, perguntei a eles onde podemos achar consolo sempre, mas principalmente nesses casos onde não o encontramos nos familiares, amigos, etc. Todos mencionaram a Doutrina Espírita.

Terceiro momento:

- Adaptei o texto sobre as três revelações retirado do site do Centro Espírita Maria Angélica http://www.cema.org.br/livros/Aula_02.doc e debatemos as seguintes perguntas:

1)      O Espiritismo realmente seria o Consolador prometido por Jesus? Por quê?

2)      Você alguma vez já encontrou consolação na Doutrina Espírita?

3)      Você acha possível encontrar consolo em momentos dolorosos como a tragédia com a avião da TAM?

Foi uma aula bem legal (a duração é de 1h 30min), feita inicialmente com uma Mocidade, mas pretendo adaptá-la para usar com outro grupo de terceiro ciclo.